Curiosidades, Dicas, Mitos e Verdades

  • Os dentes são duros, brancos e cheios de cálcio, mas não são considerados ossos. Os dentes são feitos de cálcio, fósforo e outros minerais. A diferença é que os ossos, além disso tudo, também contém bastante colágeno.

  • Os dentes são a parte mais dura do corpo humano

  • O ato de ranger os dentes enquanto se está nervoso ou até mesmo quando se está dormindo se chama bruxismo e causa um desgaste na dentição. Esse distúrbio atinge por volta de 15% da população (mulheres, na maioria)e tem a ver com o stress e agitação do dia a dia.

  • Os dentes são tecidos calcificados, chamados de dentina, e cobertos com esmalte (a parte mais externa e brilhante do dente).

  • Restos de um suposto fio dental foram encontrados entre os dentes de humanos pré-históricos. O inventor do fio dental foi o dentista de Nova Orleans, Levi Spear Parmly (1790 – 1859), em 1815. Ele começou a recomendar aos seus pacientes que utilizassem seu próprio fio dental, feito de seda.

  • O maior dente humano do mundo, de acordo com a edição de 2011 do Guiness Book é do incisivo que media 5,2 centímetros e era de um brasileiro! O dente foi extraído por um dentista em Ilicínea, Minas Gerais, em Agosto de 2009.

  • O norte-americano Charles Forster, depois de morar no Brasil (em Pernambuco) entre as décadas de 1840 e 1850, encantou-se com a beleza da dentição das mulheres brasileiras, que usavam palitos de salgueiro para remover restos de comida dos dentes. Voltando aos EUA, contratou um inventor de máquinas para que criassem um equipamento de produção de lascas de madeiras. Surge, então, o palito de dente.

  • Antigamente, os dentistas usavam dentes humanos, comprados dos pobres, ou faziam as dentaduras de prata ou de ágata. As primeiras dentaduras de porcelana foram feitas por volta de 1770, por Alexis Duchâteau, um farmacêutico que morava próximo a Paris. A descoberta foi aprimorada nos Estados Unidos por Claudius Ash, no século XIX.

  • DEVO TROCAR MINHA ESCOVA DE DENTE DE QUANTO EM QUANTO TEMPO?
    A Troca deve ser em média a cada 3 meses, mas isso dependerá da maciez das cerdas e da força e intensidade com que se usa a mesma.

  • POR QUE TROCAR A ESCOVA DE DENTE?
  • Não é difícil encontrar quem só aposente a escova quando ela já está praticamente irreconhecível. Esse hábito, no entanto, é um risco à saúde dos dentes. Se as cerdas estiverem desorganizadas, fica impossível fazer a remoção eficiente da placa bacteriana que causa o mau hálito e diversos outros problemas bucais.
    “Também vale lembrar que o acúmulo de bactérias e fungos que se alojam e desenvolvem nas cerdas da escova corresponde a números enormes, logo, é preciso trocá-la por uma questão de saúde”, ressalta a especialista. Sendo assim, se a escova já cumpriu seu papel, dê a ela o descanso merecido. É a hora de dar lugar a um utensílio mais novo e, consequentemente, mais preparado para proteger o seu sorriso.
  • A escova de dentes mais antiga de que se tem notícia foi encontrada numa tumba egípcia de 3 mil anos a.C. Era um pequeno ramo com ponta desfiada até chegar às fibras, que eram esfregadas contra os dentes.

  • Foi em 25 de outubro de 1884 que um decreto imperial criou as primeiras Faculdades de Odontologia no Brasil.

  • CENÁRIOS EM QUE A ESCOVA ELÉTRICA É A MAIS INDICADA
  • De fato, não há restrições de uso para a escova elétrica. As pessoas podem incluí-la na higiene bucal contanto que haja uma boa adaptação ao objeto. A profissional até ressalta a importância da ferramenta para pacientes com necessidades especiais e dificuldade motora. Neste caso, a escova é mais fácil de ser manejada, o que torna a limpeza ainda melhor. Os pequenos também possuem uma boa relação com esse tipo de tecnologia. "A utilização de escovas manuais é muito difícil para crianças e pacientes especiais, devido a falta de habilidades durante a limpeza", afirma. Para as ferramentas tradicionais é preciso ter uma força adequada de apoio, praticar movimentos contínuos, entre outras aptidões. Já a escova elétrica é capaz de fazer todo esse trabalho praticamente sozinha e com a mesma qualidade da manual.

  • FIO DENTAL
  • Tem gente que parte logo para a escovação e esquece completamente de usar esse item primeiro. Mas, acredite, é um erro deixar de usar o fio dental ou lembrar desse produto apenas uma vez ou outra. Só essa ferramenta consegue limpar os espaços entre os dentes, onde acumulam mais restinhos de alimentos. Se essa área não for higienizada todos os dias, muita placa bacteriana será acumulada e vários problemas vão começar a surgir. "As bactérias desmineralizam os dentes, gerando a cárie, e atacam a gengiva, causando inflamações”. Não deixe de reservar um tempinho da sua higiene para o fio dental( á noite). Ele é muito importante para o seu sorriso.

  • A parte mais dura do corpo é o esmalte que reveste todos os dentes, por ser um tecido altamente mineralizado;

  • Produzimos, em média, 1,5L de saliva por dia . Quantidade suficiente para proteger os dentes e manter a saúde da boca em dia. Todavia, quando ocorrem alterações no fluxo da produção salivar, o cenário bucal é prejudicado;

  • Cuidar da saúde bucal evita ataque cardíaco. De acordo com estudos realizados em Taiwan, pessoas que realizam limpeza bucal no dentista têm 24% menos chances de sofrer ataque cardíaco e 13% menos risco de um derrame.

  • Profissionais da Cooperativa garantem: para manter a saúde bucal em dia, é indicado ir ao dentista a cada seis meses,  a fim de realizar limpeza dos dentes e remoção de possíveis placas bacterianas.

  • A cárie é a 2° doença mais comum do mundo, perdendo apenas para o resfriado.

  • Gestantes devem evitar medicação contra a dor, anestésicos dentais, radiografias e antibióticos, durante o primeiro trimestre da gravidez.

  • A quantidade do creme dental,  deve ser do tamanho de um grão de feijão.




  • MITOS OU VERDADES
  • “SE NÃO SENTIR DOR, NÃO PRECISO IR AO DENTISTA.”
  • A ausência de dor, infelizmente, não significa ausência de problemas bucais. É importante que o cirurgião-dentista faça o controle de uma a duas vezes ao ano, para que seja feito um diagnóstico precoce de qualquer problema, como cáries ou qualquer tipo de lesão, antes da progressão.

  • INFLAMAÇÃO E INFECÇÃO GENGIVAL PODEM CAUSAR DOENÇAS CARDÍACAS.
  • Pesquisas recentes mostram que doenças periodontais podem estar associadas à doença cardiovascular. Isso pode ocorrer porque as bactérias que se acumulam na gengiva podem migrar para os tecidos do coração, provocando uma infecção conhecida como endocardite bacteriana.

  • “DEVO PARAR DE PASSAR O FIO DENTAL, POIS MINHA GENGIVA SANGRA COM FACILIDADE”
  • O fio dental deve ser passado principalmente quando ocorre o sangramento. Quem inflama a gengiva são ácidos e toxinas produzidas pela placa bacteriana. Quando o paciente não usa o fio dental diariamente, acumula-se muita placa entre os dentes e na gengiva, fazendo com que essa região inflame e sangre ao toque. Usar o fio dental pelo menos uma vez ao dia e escovar os dentes pelo menos três vezes, desinflama a gengiva e previne a doença periodontal e cáries.

  • CIGARRO CAUSA GENGIVITE.
  • O cigarro possui grande quantidade de substâncias tóxicas, sendo responsável por aumentar a possibilidade de fumantes terem gengivite e até doença periodontal. São necessários maiores cuidados profissionais com a saúde bucal para que não surjam problemas ainda mais graves.

  • CREMES DENTAIS FUNCIONAM COMO CLAREADORES.
  • Os cremes dentais branqueadores possuem muito pouco ou não possuem em sua composição os agentes ativos do clareamento. Por ser abrasivo, ele atua somente removendo manchas externas.

  • “ESCOVAS DENTAIS COM CERDAS DURAS LIMPAM MELHOR OS DENTES.”
  • Essas cerdas podem causar danos à gengiva ao ponto de criar feridas e retrações gengivais significativas. Se for colocada muita força, a superfície do dente pode ser danificada com remoção de esmalte. A escova dental deve ter de preferência cabeça pequena, cerdas macias e arredondadas e tufos concentrados. Uma escova de cerdas macias ou extra-macias duram em média 30 dias, após esse período, as cerdas perdem sua efetividade.

  • O DENTE DO 3º MOLAR (SISO) SEMPRE DEVE SER EXTRAÍDO.
  • Depende de sua posição dentro da arcada dentária. Se o crescimento do siso for incomum, “empurrará” o restante dos dentes e pode entortar a arcada. Há casos em que o siso causa desconfortos (dor, inflamação) fazendo com que se torne essencial a extração, e também há casos em que o crescimento deste dente não causa nenhum problema, não havendo necessidade da extração.

  • ADULTOS NÃO PODEM USAR APARELHO ORTODÔNTICO?
  • O uso do aparelho ortodôntico é comumente ligado aos adolescentes. No entanto, pacientes de outras faixas etárias também podem realizar o tratamento. “Os adultos podem usar aparelho ortodôntico, sendo a dentição permanente ideal para a movimentação, pois ela suporta as forças e o ligamento estimula a absorção e a reposição óssea”, explica a profissional. Além disso, vale ressaltar que quando utilizado durante a infância, o aparelho consegue tratar de problemas de crescimento ósseo. Enquanto isso, na fase adulta serve para movimentações dentárias ou ganhar osso para uso de implantes.

  • O APARELHO ORTODÔNTICO SÓ PODE SER USADO NA DENTIÇÃO PERMANENTE?
  • O tratamento ortodôntico pode ser separado em dois tipos, o preventivo e o corretivo. O caso do preventivo é indicado para a dentição decídua ou mista. “E o corretivo na dentição permanente, uma vez que o movimento ortodôntico depende do ligamento periodontal com absorção e reposição óssea”, completa Alessandra. Isto porque o dente decíduo não consegue suportar a força feita pelo fio nos dentes, e isto pode resultar em um quadro de reabsorção. Por isso, é importante que o tratamento ortodôntico seja bem indicado e feito na fase correta para ter sucesso.

  • A perda dos dentes é consequência natural do envelhecimento.
  • A perda dentária é consequência de doenças gengivais mal tratadas, traumas e composição genética. Com tratamento de prevenção é possível chegar à terceira idade com todos os dentes na boca.

  • USAR O APARELHO ORTODÔNTICO NA INFÂNCIA TRAZ RESULTADOS MELHORES?
  • “Na infância é possível fazer um tratamento corrigindo tanto o posicionamento dos dentes quanto o crescimento e desenvolvimento ósseo, evitando má oclusão na fase adulta”, esclarece a dentista. Por isso, diversos pacientes acabam já sendo indicados a iniciar o tratamento durante essa fase. E ainda, a resposta à movimentação dos dentes é mais rápida durante a infância.

  • PACIENTES COM APARELHO ORTODÔNTICO PRECISAM MUDAR A ALIMENTAÇÃO?
  • Com o aparelho na boca, a rotina acaba sofrendo algumas alterações devido esse uso, principalmente na hora de comer. “Esses pacientes precisam mudar a alimentação e é aconselhado evitar o consumo de alimentos duros, para evitar o deslocamento dos braquetes, o que acaba por atrasar os resultados”, ressalta a profissional.

  • O TRATAMENTO ORTODÔNTICO DEMORA A APRESENTAR RESULTADOS?
  • O tratamento ortodôntico tem resultados conforme o estímulo aplicado com o aparelho. "O tempo vai depender da discrepância que o paciente apresenta, sendo assim, cada caso terá uma evolução específica”. O paciente pode perceber o alinhamento dos dentes acontecer rapidamente. No entanto, não quer dizer que o tratamento tenha chegado ao fim. Converse com seu dentista para que seu caso seja avaliado e um plano seja traçado de acordo com suas necessidades.

  • NÃO DEVE SER REALIZADO TRATAMENTO DENTÁRIO DURANTE A GESTAÇÃO.
  • Os riscos durante o tratamento odontológico são menores do que os riscos que os problemas bucais podem causar à mãe e ao bebê. Antes de tudo, a gestante precisa ter saúde. O melhor período para o tratamento dentário é entre o quarto e o sexto mês de gestação. Porém, já no inicio da gravidez, deve-se procurar o dentista para uma orientação preventiva. Se houver necessidade de tratamento, este deve ser realizado, pois infecções e cáries não tratadas podem prejudicar a saúde da gestante e do bebê.

  • CHUPETA FAZ MAL PARA A DENTIÇÃO DAS CRIANÇAS.
  • O uso prolongado da chupeta pode acarretar em um problema muito comum, que é a mordida aberta anterior, onde os dentes anteriores se projetam não ocluindo de forma correta. Isso ocorre devido ao estímulo constante da chupeta, “empurrando” os dentes. É muito importante o acompanhamento de um cirurgião-dentista, especialista em pediatria, para instruir corretamente os pais.

  • O DENTE PRECISA DOER PARA SURGIR A NECESSIDADE DO TRATAMENTO DE CANAL?
  • Apesar de a inflamação na polpa normalmente causar dor, é possível que não apareça e, mesmo assim, seja necessário fazer o tratamento de canal. Por isso, agendar consultas a cada seis meses com o dentista pode ajudar a descobrir problemas antes mesmo de eles se manifestarem. Quanto antes for descoberto, melhor será para curá-lo.

  • TRATAMENTO DE CANAL ESCURECE O DENTE?
  • "O surgimento das manchas depende da história da lesão e da técnica escolhida para tratar, assim como do material escolhido". Porém, unindo a microscopia operatória com as novas técnicas e ferramentas de obturação, as chances de o paciente ter manchas nos dentes após o tratamento de canal diminuíram bastante.

  • O DENTE TRATADO PODE VOLTAR A APRESENTAR PROBLEMAS?
  • Se o dente foi mal tratado, fraturou ou passou por algum trauma, é possível, sim, que volte a ser motivo de preocupação e dor de cabeça. "Nesse caso deve se fazer o retratamento do canal ou até mesmo uma mini cirurgia que deverá ser executada por profissionais qualificados para reverter o problema".
    Portanto, longe de ser um problema, o tratamento de canal é, na verdade, a solução mais eficaz de restauração e preservação de um dente que pode estar comprometido. Mas quem não quer passar por isso é só seguir a boa e velha recomendação dos profissionais: escovação caprichada todos os dias e fio dental para evitar placas e tártaros, que são vias de acesso para as bactérias produzirem cáries profundas.

    Desenvolvido por: WCHOST